Grasi Nuernberg

Capacete na cabeça, trena nas mãos e sapatão de obras nos pés. O trio faz parte do “look” da arquiteta Grasi Goulart Nuernberg - Primor Arquitetura, nas visitas diárias aos seus trabalhos em execução, o que inclui o café da manhã com pedreiros, eletricistas e demais membros da equipe. Na realidade, essas idas são muito mais do que visitas. A profissional envolve-se tão profundamente na construção que faz dela parte de seu escritório. “É aqui que tudo acontece, e o acompanhamento de perto dá bastante resultado”, complementa. Tal cuidado no andamento dos projetos é parte importante das obras que assina. Seu olhar apurado lhe permite encontrar soluções rápidas, que evitam o desperdício de material e resolve situações que, sem a sua presença, levariam horas ou dias para serem contornadas. É algo que fica bastante evidente principalmente em reformas, nas quais muitas vezes não há acesso aos projetos e estudos feitos à época das execuções. Por conta disso, podem surgir imprevistos identificáveis somente quando chega o momento de colocar a mão na massa. Nessas horas, lá está Grasi para analisar as possibilidades e encontrar meios de solucionar eventuais contratempos – evitando ao máximo mudanças nos prazos e orçamentos. Uma dedicação semelhante é dada também aos profissionais envolvidos nas construções. Independente do cargo ou função, trata todos igualmente, buscando a clareza e objetividade em cada conversa. “Na realidade, a gente acaba atuando como um maestro, que deve deixar todos afinados e comprometidos dentro da meta de tocar com harmonia e apresentar um espetáculo”, explica. Atuando assim de maneira constante, Grasi desperta na equipe a confiança em tudo o que faz, agilizando ainda mais o andamento dos trabalhos. Esse já era o seu jeito de atuar antes mesmo da pós-graduação que fez em Gerenciamento de Obras, Tecnologia e Qualidade da Construção – ainda antes de abrir o escritório. O curso então aprimorou suas habilidades nessa área, que foram colocadas em prática desde a época na qual trabalhava na Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). A história profissional da arquiteta, aliás, é bastante ligada à instituição. Foi lá que fez a faculdade de arquitetura e urbanismo, onde chegou com um conhecimento diferenciado por conta do curso técnico em desenho industrial – feito ainda na adolescência. Foi de grande ajuda também para conseguir o primeiro estágio no setor de maquetaria e no departamento de projetos. Tempos depois, foi contratada como desenhista após um concurso interno, chegando a arquiteta e responsável pelo departamento de projetos e infraestrutura. Foram 13 anos ao todo dentro da Unesc, onde adquiriu uma experiência que tem sido de grande valia para o seu atual momento – principalmente quando sua veia empreendedora começou a pulsar mais forte, a ponto de abrir a própria empresa no começo de 2019. Projetos de grande relevância surgiram logo nos primeiros dias da nova empreitada, englobando tanto as obras residenciais quanto as comerciais. Em ambas as situações, seja em interiores ou arquitetônico, Grasi diz que fica pensando no futuro do imóvel. “Não adianta fazer o mais perfeito dos trabalhos se trouxer dificuldades na manutenção do dia a dia, gerando incômodo para limpar ou mesmo utilizar”, detalha a arquiteta. A isso, ela une os conceitos de harmonia, versatilidade e conforto – sem deixar de lado o alto padrão estético. A união desse cuidado com tudo o que assina representa, na visão de quem a contrata, um grande zelo e dedicação com seus lares, tornando-se um diferencial na atuação da arquiteta. Outra prova disso é o prazer dela em montar mesas postas para amigos e familiares, levando para o campo profissional também, com fotos, recados e memórias de encontros anteriores. É um carinho que sintetiza todo o empenho e energia de uma arquiteta que transmite dedicação e qualidade.