Sabedoria ancestral, por Schuchovski Arquitetura

Da arquitetura estratégica à integração com o cenário natural que abraça a casa, o projeto explora os sentidos através das técnicas milenares para a concepção de espaços acolhedores, leves e atemporais.

Na arquitetura, a expressão promenade significa algo como a experiência de caminhar pela obra e mergulhar nos sentidos. Neste projeto em Itajaí, os moradores têm a sua intuição aflorada pelos elementos em torno e pelos diferentes cenários projetados — que vão de ambientes sofisticados ao minimalismo em essência.

As sensações que dançam pelos ambientes são zeladas pela arte milenar Feng Shui. A técnica chinesa se baseia na forma como a energia da casa é construída e a influência dos elementos na harmonia dos ambientes. Nos projetos de interiores, o Feng Shui privilegia componentes sensoriais, que despertam o contato com os elementos que vem da terra, e aconselha a refletir sobre itens como o uso das cores — e no que elas reverberam nos espaços — até a posição de alguns móveis, como as camas.

Recebendo o status de monumento da casa pelas profissionais, a escada helicoidal atrai os olhares nos ambientes sociais — principalmente no jantar, com seu alto padrão estético beirando a excelência.

Adotando a tradição chinesa com sabedoria, o escritório Schuchovski Arquitetura assumiu uma tarefa complexa. Afinal, o terreno de 1.200 metros quadrados, que é o grande protagonista, possui medidas desafiadoras — em formato triangular — e as maravilhas naturais que abraçam o imóvel não podiam, de forma alguma, ficar em segundo plano.

A volumetria e o design da escada a transformam em uma obra de arte que não deixa a funcionalidade em segundo plano. Em contraste, o tapete é assinado pelo escritório e eleva a composição.

Como alma da residência, localizada em meio a vegetação e de frente ao mar de Itajaí, a arquitetura criou verdadeiras experiências para a família, composta por um casal cosmopolita e seus dois filhos. Entre os destaques, os vidros substituem as paredes nas principais áreas e fortalece a intuição dos proprietários através do contato com a vegetação, iluminação solar e ventilação abrangente.

As grandiosas esquadrias entram em cena na sala de jantar, composta no centro da residência para ser contemplada pelo grande volume em vidro e pelo pé-direito triplo — que recebeu os pendentes de Tom Dickson como ponto focal. A parede verde traz o exterior para a área social, recebendo irrigamento automático. Para o conforto da família e seus convidados, as cadeiras e a mesa da Artefacto, em tom neutro, adicionam sofisticação. Um biombo personalizado setoriza o ambiente da sala de almoço, local onde a obra da Galeria Simões de Assis se destaca pelos tons vibrantes e descontração.

Na sala de lareira, a brisa entra pelas janelas e paira ao lado da decoração que mistura brasilidade e itens modernos. O sofá da Artefacto traz a atmosfera serena com ginga e personalidade. Já o tapete com formatos quadriculados arremata a composição junto da cadeira em madeira e palha. O forro em madeira alia-se com a lareira em limestone para o aconchego da proposta, além da arquitetura pensada para o conforto térmico e otimização da luz solar.

O layout do living do espaço gourmet foi pensado para ser mais circular, recebendo um tapete com círculos em diversos tons que foi desenhado pelo escritório de Eliza. Assinados pela Artefacto, os móveis soltos agregam aconchego e modernidade à proposta. Além das obras da Galeria Sim, o ambiente também conta com banquetas despojadas, pendentes em traços finos e o gourmet em limestone.

Criação de Jader Almeida, um dos principais nomes do design contemporâneo brasileiro, o sofá lateral foi um dos escolhidos para a sala da lareira, espaço que acolhe em toda a sua composição — iluminação intimista, tons terrosos e o contato com a área externa A estante com módulos diferenciados é assinada pelas profissionais e se integra a proposta com autenticidade.

Assim como os outros ambientes, a suíte master recebeu o Feng Shui como fio condutor. A cabeceira abraça a cama e se integra ao muxarabi, tudo para que as energias dos proprietários sejam renovadas. O painel em pedra adiciona o contato com os elementos naturais, enquanto a posição da cama e as cores que acalmam entram em sintonia com o conceito chinês. A área íntima é ampla e conta com dois closets e dois banheiros.

Os muxarabis se estendem pelos ambientes íntimos para a continuidade estética. No projeto, cada um do casal recebeu o seu próprio banheiro e o seu closet — que receberam cores diferentes. No banheiro dela, a proposta é serena, com tons de dourado e persianas de vidro.

Os filhos receberam quartos modernos, com tons vibrantes e móveis nos quais linhas retas nascem com maestria. O clássico balanço Bubble, criado pelo dinamarquês Eero Arnio, foi escolhido para os dois ambientes e estimula o conforto e a estética divertida.

A grandiosa e colorida cabeceira é uma das protagonistas da primeira proposta, assim como o painel em pedra. No segundo quarto, o contraste entre o laranja e o azul se destaca, assim como a paisagem valorizada pelas grandiosas esquadrias.

Uma das solicitações do proprietário foi o lago de carpas, que foi integrado a sala da lareira e com a vegetação da cidade. Espaço para relaxar também não faltam no projeto, que ganhou uma sauna seca, circulações que valorizam a paisagem e, claro, um cantinho para as meditações.

A rusticidade natural do limestone complementa a refinada cristaleira no espaço gourmet. O ambiente ficou atemporal, com espaço para o preparo dos churrascos e para as confraternizações com quem se ama. Já o lavabo recebeu uma estética rústica com uma tora de madeira produzida no local e a cuba esculpida. O espelho segue o recorte da madeira e fortalece a composição estilosa.

Fotos: Eduardo Macarios

As criações e edições realizadas pela Supernova Editora
se enquadram na Lei nº 9.610/98 (Lei sobre direitos autorais),
portanto, possuem proteção contra plágios e cópias.
Assim é vedado ao terceiro a reprodução de obra sem prévia autorização,
sendo que a sua utilização sem a concessão enseja reparação civil.