Pertencimento do lar, por UP-ARQ

Um projeto repleto de arte, brasilidade e contemporaneidade. A fluidez dos laços familiares e dos ares de mudança. Da herança e dos laço familiar das arquitetas do escritório UPARQ, para a casa de um jovem casal que se muda para Chapecó.

Foto: Kacio Lira

Todos os seres humanos, independentemente da cultura, sentem a necessidade de pertencer. Lar é onde a gente se sente pertencido, onde chegamos e encontramos refúgio. Lar é sentir-se bem-vindo. Em uma atmosfera de mudança, um jovem casal que se muda para Chapecó tem sua casa projetada para os receber nessa nova jornada. Um projeto que inspira brasilidade e manifesta a identidade inspiradora das arquitetas Janine Dal Prá e Gabriela Dal Prá, do escritório UP-ARQ.

A residência de 350 metros quadrados possui ambientes integrados, com ampla visão entre si e, também, da área externa. No living do casal, uma ampla janela emoldura a vista, em um pleno estado de admiração. O objetivo é agregar as paisagens, destacando um lindo jardim que parece imergir na área social. Essa estratégia adiciona leveza e autenticidade ao living, com um toque rústico que valoriza a essência dos componentes. 

As arquitetas projetaram a residência com a intuição aflorada para as manifestações artísticas possíveis no espaço. O painel amadeirado em marcenaria louro freijó, planejado com perfis lineares, aquece o espaço e acolhe a família. Além disso, traz a possibilidade de contemplação e habitação em um só lugar.

Sem perder o charme da decoração repleta de identificações brasileiras, com peças de arte contemporânea, a casa ainda mantém a essência de lar. O casal é recebido pela mais pura sensação de aconchego, trazida pela forte presença da madeira e das pedras naturais, que aquece o lugar.

Pontos-chave

• A brasilidade é enaltecida na decoração por meio de cerâmicas, vasos artesanais e outros itens assinados por artesãos nacionais, que valorizam a identidade do casal. 

• Quadros que trazem representatividade étnica são destaque no arranjo decorativo da residência, trazendo referências fortíssimas da arquitetura modernista em uma ode às raízes brasileiras.

• O living também recebeu um espaço para descanso que acentua ainda mais o conceito de permeabilidade, o que identifica o projeto na essência do escritório. Almofadas seguem os tons da paleta inconfundível neste projeto, honrando a estética de composição entre o rústico, artesanal e moderno.

• Outro espaço é destinado a uma estante que, em complemento, integra a toda a parede. Nele, a decoração também manifesta brasilidade, por meio de peças de cerâmica.

Foto: Kacio Lira

Na cozinha, a marcenaria combinada ao tampo da ilha, em porcelanato marmorizado branco e os armários em preto tornam a composição harmônica. O contraste entre as cores neutras proporciona uma sofisticação que se estende por toda a residência, ao mesmo tempo que a madeira e os artigos de decoração trazem a rusticidade na medida certa. 

A pretensão por utensílios pretos, como a torneira e a prateleira, também visa o contraste entre os tons neutros. A paleta combina e tem o apoio de uma iluminação estratégica, presente nos detalhes da ilha da cozinha.

A integração dos espaços permite a fluidez no trânsito e na visibilidade da residência. De uma área social à outra, é possível sentir que os espaços se conectam e as relações, portanto, também se conectam. Uma casa feita para receber novos e antigos amigos, em uma nova adaptação. 

As criações e edições realizadas pela Supernova Editora
se enquadram na Lei nº 9.610/98 (Lei sobre direitos autorais),
portanto, possuem proteção contra plágios e cópias.
Assim é vedado ao terceiro a reprodução de obra sem prévia autorização,
sendo que a sua utilização sem a concessão enseja reparação civil.